Espuma da cerveja – porque sua bebida deve ter o colarinho?

98
Beer Glass with Foam

Por Rodolfo Bosqueiro
@umami.sommelieria

A maioria das vezes que pedimos um chopp no bar, ouvimos a pergunta “Com ou sem colarinho?”. E a sua resposta deveria ser sempre a mesma: “Com colarinho, por favor”. Entenda agora a importância da espuma em sua cerveja.

Creme, colarinho ou espuma – o nome que você dá não vai fazer diferença, desde que ela esteja sempre presente em sua cerveja, seja no bar, no restaurante, ou até na cerveja degustada no conforto da sua casa.

Temperatura

A espuma da cerveja no copo cria uma barreira entre o líquido e o ar, contribuindo na estabilidade da temperatura, ou seja, ela demora mais para “esquentar” no copo.

Aromas e sabores

Essa mesma barreira de espuma que mantém a temperatura da sua cerveja estável, ajuda a manter os aromas e sabores da sua bebida concentrados dentro do copo, conservando essas propriedades e proporcionando a mesma sensação a cada gole.

Oxigênio

O oxigênio é um dos grandes vilões da cerveja e a espuma da cerveja é uma grande aliada nesse sentido. O colarinho é responsável por impedir que o oxigênio do ar entre em contato com o líquido dentro do copo, evitando assim a oxidação de sua cerveja, o que dá um gosto indesejável a ela.

Portanto, a espuma da cerveja é fundamental para proteger os aromas e sabores da sua bebida, e, somente com ela, a sua experiência sensorial será completa.

Para você saber se a sua cerveja tem uma espuma de boa qualidade, existem algumas dicas:

Uma espuma considerada ideal deve apresentar bolhas pequenas, uniformes, e uma boa estabilidade, ou seja, não deve sumir rapidamente. Assim ela protege a sua cerveja durante todo o tempo de degustação.

No entanto, uma boa espuma também vai depender de alguns fatores externos importantes, aos quais você precisa estar atento para não prejudicar o colarinho de sua cerveja e consequentemente, a sua experiência de degustação:

  • Seu copo ou taça deve estar limpo e livre de gorduras, resíduos de sabão (ou detergentes) e batom, pois essas substâncias afetam a formação e a estabilidade da espuma;
  • Sua cerveja não deve ser servida super gelada, pois a temperatura muito baixa prejudica a formação da espuma. Assim como ela não deve estar quente, pois poderá espumar demais, o que também não é ideal. Falamos sobre as temperaturas ideais de serviço para cada estilo de cerveja aqui 
  • Com o copo limpo e a cerveja na temperatura certa, a forma ideal de servi-la é: derramar cuidadosamente a cerveja até a metade do copo em um ângulo de 45º. Depois retorne o copo à posição vertical e complete. Assim a espuma será formada naturalmente;
  • De modo geral, a espuma ideal deve ter em média dois dedos (ou 3 centímetros) de altura.

Um bom indicador da qualidade de espuma é o chamado “Belgian Lace” (“Renda Belga” em portugês): marcas de espuma que são deixadas no copo depois que a cerveja foi bebida. Reflete tanto o cuidado em preparar a cerveja quanto a limpeza do copo no qual ela está sendo servida.

 colarinho
Foto: FemAle Carioca

É importante notar que alguns estilos de cerveja tendem a apresentar mais ou menos espuma que outros. Não por defeito, mas por possuírem características individuais diferentes.

Os de origem inglesa, por exemplo, apresentam menor carbonatação e menor formação de espuma, como as Bitters, Stouts e Porters. Já os estilos de origem alemã, como as cervejas de trigo (Weizen) e Lagers, possuem espuma de boa formação e duração.

Agora que você já sabe a importância da espuma em sua cerveja, fique atento na sua próxima degustação. Saúde!

COMPARTILHAR