Ninkasi, a deusa suméria da Cerveja

354

nagaia1-2O povo sumério era bebedor de cerveja de longa data. Aliás, foram os Sumérios que descobriram a cerveja. Sim, porque a cerveja não foi inventada, mas descoberta.

Segundo os cientistas que estudam o nascimento das bebidas fermentadas, os caçadores-coletores-nômades perceberam há cerca de 10 mil anos que os cereais selvagens eram grande fonte de alimento. Para guardar os grãos, eles os cozinhavam e armazenavam.

Um texto revela que potes de grãos cozidos, quando esquecidos, depois de comidos produziam um sentimento de alegria, num estágio inicial de intoxicação. Era a primeira cerveja! A partir desta descoberta, os grãos cozidos eram colocados em potes com água e outras substâncias, como mel e frutas para dar aroma e sabor.

Anos mais tarde o povo da babilônia inventou o que conhecemos hoje por canudo para extrair o suco alcoólico de dentro do pote.

Um texto que data de 1.800 AC é o Hino à Ninkasi. Escrito por um poeta sumério e encontrado em uma tabuleta de cerâmica, descreve uma das receitas mais antigas de produção de cerveja.

Clay-Tablet-Ninkasi-

Ninkasi é a deusa suméria da fabricação de cerveja e da própria cerveja, considerada a cervejeira dos deuses. Seu nome significa “a senhora que enche a boca”.

Os primeiros cervejeiros eram mulheres, pois a produção de cerveja era uma tarefa doméstica e de responsabilidade delas, como cuidar da casa e dos filhos.

ninkasi-4LOUVOR À NINKASI

Nascida da água corrente

Delicadamente cuidada por Ninhursag

Nascida da água corrente

Delicadamente cuidada por Ninhursag

 

Tendo fundado sua cidade pelo lago sagrado

Ela rematou-a com grandes muralhas por você

Ninkasi, fundando sua cidade pelo lago sagrado

Ela rematou-a com grandes muralhas por você

 

Seu pai é Enki, Senhor Nidimmud

Sua mãe é Ninti, a rainha do lago sagrado

Ninkasi, seu pai é Enki, Senhor Nidimmud

Sua mãe é Ninti, a rainha do lago sagrado

 

Você é a única que maneja a massa com uma grande pá

Misturando em um poço o bappir com ervas aromáticas doces

Ninkasi, você é a única que maneja a massa com uma grande pá

Misturando em um poço o bappir com tâmaras ou mel

 

Você é a única que assa o bappir no grande forno

Coloca em ordem as pilhas de sementes descascadas

Ninkasi, Você é a única que assa o bappir no grande forno

Coloca em ordem as pilhas de sementes descascadas

 

Você é a única que rega o malte jogado pelo chão

Os cães fidalgos mantém distância, até mesmo os soberanos

Ninkasi, você é a única que rega o malte jogado pelo chão

Os cães fidalgos mantém distância, até mesmo os soberanos

 

Você é a única que embebe o malte em uma ânfora

As ondas surgem, as ondas caem

Ninkasi, você é a única que embebe o malte em uma ânfora

As ondas surgem, as ondas caem

 

Você é a única que estica a pasta assada em largas esteiras de palha

A frieza supera

Ninkasi, Você é a única que estica a pasta assada em largas esteiras de palha

A frieza supera

 

Você é a única que segura com ambas as mãos o magnífico e doce sumo

Fermentando-o com mel e vinho

(Você, o doce sumo para o eleito)

Ninkasi, (…)

(Você, o doce sumo para o eleito)

 

O barril filtrador, que faz um som agradável

Você ocupa apropriadamente o topo de um grande barril coletor

Ninkasi, o barril filtrador, que faz um som agradável

Você ocupa apropriadamente o topo de um grande barril coletor

 

Quando você despeja a cerveja filtrada do barril coletor

É como os barulhos dos cursos do Tigres e do Euphrates

Ninkasi, você é a única que despeja a cerveja filtrada do barril coletor

é como os barulhos dos cursos do Tigres e do Euphrates

Através desse texto podemos observar que mesmo depois de milhares de anos, as técnicas de produção evoluíram, novas tecnologias foram inventadas, mas conceitualmente pouca coisa mudou na fabricação de cerveja.

Ergam suas taças e façamos um brinde à deusa Ninkasi!