História da cerveja: o surgimento da cerveja na Suméria

A história da cerveja se inicia, muito provavelmente, há tanto tempo quanto a história da própria humanidade

411

história da cervejaOlá Beernautas! Hoje viajaremos no tempo para tentar descobrir como iniciou a história da cerveja.

A única certeza que temos é de que sua origem é tão antiga quanto a civilização.  Não sabemos ao certo quando aconteceu o surgimento da cerveja, mas estima-se que o homem já faz a bebida há mais de 10 mil anos. Alguns historiadores, inclusive, afirmam que a cevada foi usada para fazer cerveja antes mesmo de começarem a fazer pão. Outros, acham que o homem começou a plantar quando descobriu como obter álcool por meio da fermentação de cereais.

O documento mais antigo que retrata a cerveja é datado de 6.000 anos atrás, na Suméria. Nele, aparece um grupo de pessoas que bebem cerveja em uma tigela comunitária, usando canudos. Antigamente, a cerveja não era tão refinada quanto hoje e os canudos eram usados para evitar beber os resíduos amargos.

A referência literária mais antiga citando a cerveja também vem da Suméria: um hino à deusa Ninkasi. Esse poema, enquanto elogia a deusa, descreve também uma receita de cerveja.

“É você quem assa o pão de cerveja no grande forno, e colocar em ordem as pilhas de grãos descascados.
É você quem rega a terra coberta de malte, os cães nobres a guardá-la até mesmo dos potentados.
É você quem mergulha o malte em um frasco, as ondas sobem, as ondas caem.”
Traduzido de Um Hino a Ninkasi

A cerveja era considerado um símbolo da civilização. Na Epopéia de Gilgamesh, o personagem Enkidu, um homem selvagem, ao ser apresentado a civilização, é colocado diante do pão e da cerveja. Comer pão e beber cerveja era o que separava os homens civilizados dos bárbaros.

Eles colocaram comida na frente dele,
eles colocaram cerveja na frente dele;
Enkidu não sabia nada sobre pão como comida,
e sobre beber cerveja não havia sido ensinado.
A prostituta falou para Enkidu, dizendo:
“Coma a comida, Enkidu, que é a maneira que se vive.
Beba a cerveja, como é o costume da terra “.
Enkidu comeu a comida até estar saciado,
e bebeu sete jarros de cerveja – então tornou-se comunicativo e cantou com alegria!
Ele estava exultante e seu rosto brilhava.
Traduzido de Epopéia de Gilgamesh

Com a história da cerveja, vemos que a bebida já era um lubrificante social desde a antiguidade. 🙂

O Código de Hamurabi, rei da Babilônia, é um dos mais antigos conjuntos de leis da humanidade. Escrito por volta de 1772 AC, nele constavam 3 leis sobre cerveja. A primeira determinava que, a todos os visitantes de uma residência, deveria ser oferecido cerveja como sinal de hospitalidade. A segunda estabelecia uma ração diária de cerveja dependendo da posição social do indivíduo. Um trabalhador normal  recebia 2 litros, funcionários públicos 3 litros, administradores e altos sacerdotes 5 litros. A terceira determinava que uma pessoa que fabricasse cerveja ruim deveria ser condenada à morte por afogamento em um barril de sua própria bebida.

No capítulo de hoje, contamos a parte da história da cerveja que envolve a Suméria e Babilônia. Apesar de Hamurabi ser meio esquentadinho, nós entendemos a frustração que ele tinha por cerveja de má qualidade. Nós não afogamos ninguém, mas não vendemos cerveja ruim aqui no nosso planeta.

Conheça algumas cervejas com teor de amargor muito alto em nossa loja para entender como eram essas cervejas mais rústicas, e algumas mais fáceis de beber para você mergulhar na história conosco. 🙂